Compartilhe essa Notícia:

A escassez de chuvas, baixa umidade do ar e ventos fortes marcam o período de estiagem no Maranhão e favorecem a ocorrência de queimadas. A maior parte das queimadas no estado é causada pela ação humana, na queima irregular de terrenos com fins de plantio. A estiagem, quando há pouca ou nenhuma chuva, é outra causa comum destas ocorrências. Para alertar sobre os riscos e orientar na prevenção, o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) lançou uma campanha educativa pela internet usando banner informativo.

O Maranhão ocupa a quinta posição no ranking nacional em número de queimadas. Com as ações do CBMMA, as ocorrências vêm sendo controladas e a tendência é a redução ainda maior destes números, pontua o comandante geral da corporação, coronel Célio Roberto de Araújo. “Em mais recente boletim, não tivemos cidades maranhenses no ranking dos 30 municípios brasileiros com maiores registros de queimadas. Estamos trabalhando intensamente para melhorar ainda mais esses dados”, destaca o coronel.

O banner educativo informa sobre hábitos que as pessoas podem adotar para prevenir problemas de saúde causados pelas queimadas, a exemplo dos respiratórios. As dicas orientam na ingestão regular de água, evitar exercícios físicos no período mais quente do dia e evitar queima de lixo e entulho, por exemplo.
Banner traz informações para prevenir problemas durante o período de estiagem
Entre as áreas mais afetadas com as altas temperaturas no Maranhão estão as cidades de Mirador, Balsas, Fernando Falcão, Alto Parnaíba, Grajaú, Carolina, Urbano Santos, Riachão, Parnarama Tutóia e Barra do Corda. Segundo o comandante, o fator preocupante é o cenário de baixa umidade do ar. Para alertar sobre os riscos, equipes da Defesa Civil Estadual vão emitir alerta em comunidades que podem ser afetadas. 

A umidade relativa do ar vem oscilando entre 12% e 20% e segundo o comandante Célio Roberto de Araújo, se ficar abaixo de 12%, o Maranhão entra na classificação de situação de emergência. “São valores perigosos, que favorecem o aparecimento de doenças respiratórias e em tempos de pandemia, deve-se redobrar os cuidados”, diz.

Integrando as ações contra queimadas, o CBMMA mantém equipes nos municípios afetados e distribui ainda cartilha com orientações e dicas de como prevenir queimadas. A cartilha Programa Agricultura Familiar Sem Queimadas, integra a campanha Maranhão Sem Queimadas e traz informações sobre formas de prevenção e ações corretas para evitar acidentes. 

Produzida pelo Governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp), a cartilha é voltada a comunidades produtoras. O Instituto de Terras do Maranhão (Iterma) e a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) também participaram da elaboração do material.

Comentários do Blogger

0 Comentários