Compartilhe essa Notícia:
Objetivo também é aumentar a cobertura vacinal do rebanho no município
Pequenos produtores de Lagoa Grande do Maranhão e municípios vizinhos foram beneficiados através da parceria entre a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) e Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), por meio do projeto de extensão “Controle Preventivo da Brucelose: vacinação de bezerras e orientação de pequenos criadores”. No total, foram atendidos 33 pequenos criadores e 126 bezerras com idade entre 3 a 8 meses de idade foram vacinadas contra brucelose.

Além da vacinação, os criadores participaram de palestra sobre o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT/MA), com a fiscal estadual Agropecuária, Adriana Prazeres Paixão (responsável pelo Programa Estadual de Brucelose e Tuberculose Animal da AGED), e também com o médico veterinário Robert Ferreira Barroso de Carvalho, chefe da Unidade Regional da AGED de Pedreiras. Durante o projeto foram realizadas palestras para produtores dos povoados de Lagoa do Coco, Lagoa do Encontro, Marajá do Sena e Sumaúma.

A fiscal estadual Agropecuária, Adriana Prazeres Paixão, disse que a parceria foi muito importante, pois teve como abordagem o conceito de brucelose e tuberculose, transmissão, sinais clínicos, cuidados necessários antes, durante e após a vacinação de bezerras contra brucelose, bem como, a importância do papel do criador e da AGED no controle e prevenção dessas enfermidades. A brucelose e tuberculose são doenças que causam prejuízos econômicos, consideradas zoonoses, pois podem ser transmitidas aos seres humanos. Por ser de grande importância para a saúde pública, torna-se necessário a conscientização dos criadores.

“Esse trabalho é de extrema importância, uma vez que a realização de educação sanitária, com foco na brucelose e tuberculose animal, junto aos criadores, permite a conscientização dos mesmos quanto à prevenção e controle dessas enfermidades. A vacinação contra brucelose realizada nas bezerras faz parte de uma das estratégias do PNCEBT/MA, com o objetivo de diminuir a prevalência e o aparecimento de casos novos da doença, além de elevar o índice vacinal na Região da Bacia Leiteira do Médio Mearim, no estado do Maranhão”, explicou Adriana.

“O intercâmbio interinstitucional entre a UEMA, AGED/MA e prefeitura municipal fortalece a troca de experiências entre pesquisadores, estudantes, gestores municipais e criadores, assim como a comunidade na geração de conhecimento. Esse projeto contribui, certamente, com os princípios do profissionalismo acadêmico, ético e a iniciativa social”, disse a professora Viviane Correa Coimbra, responsável pelo projeto de extensão da UEMA.

O criador Raimundo Galvão, da Fazenda Galvão, localizada no povoado Sumaúma, diz que esse trabalho realizado no município de Lagoa Grande foi muito satisfatório. “Estou satisfeito com as orientações feitas durante a palestra sobre a vacinação contra brucelose em bezerras, pois, facilita a retirada da Guia de Trânsito Animal (GTA) para a venda do gado”, declarou.

Já o criador José Maria Filho, da Fazenda Bela Vista, relatou que ação foi uma boa iniciativa do governo. “Na nossa região existe a dificuldade de encontrar veterinário para vacinar contra brucelose entre 2 a 3 bezerras, pois, é um número muito pequeno. Com a participação da equipe facilitou para os criadores terem as bezerras vacinadas”, afirmou.

Escopo do projeto

O projeto foi pensado para que professores e acadêmicos do curso de Medicina Veterinária e pós-graduandos do doutorado em Defesa Sanitária Animal da Universidade Estadual do Maranhão participassem para realizar o projeto.

Também foi concebido para atender uma portaria de 2016 da AGED/MA, que regulamentou a obrigatoriedade de vacinação contra a brucelose, com o intuito de promover sanidade ao rebanho bovídeo e segurança à população quanto ao consumo dos produtos lácteos e cárneos. Essa vacinação só pode ser realizada por Médicos Veterinários cadastrados no órgão de defesa sanitária, porém em muitos municípios do estado não existem profissionais cadastrados, o que dificulta o acesso, especialmente dos pequenos produtores, a esse tipo de serviço.

Além de promover a vacinação de bezerras bovinas e bubalinas contra a brucelose, também teve como objetivo aumentar a cobertura vacinal do rebanho no município, realizar ações de educação sanitária e tornar os pequenos criadores em agentes multiplicadores sobre a importância da vacinação, além da elevação da renda dos criadores atendidos por meio do aumento da produtividade do rebanho, bem como a melhoria da condição de vida deste, contribuindo assim com a melhoria do IDH do município.

Comentários do Blogger

0 Comentários