Compartilhe essa Notícia:

Hoje (03), o presidente da SINPROESEMMA de Esperantinópolis, Paulo Cesar procurou o Blog Carlos Barroso para esclarecer algumas questões envolvendo a educação do município.

Paulo Cesar relatou alguns fatos em relação a classe dos professores, "Venho por meio desse veículo de comunicação mostrar o meu ponto de vista em relação administração pública de Esperantinópolis correlação aos servidores da educação":

"A carga horaria da classe está maior que a de outros municípios, em todos eles são apenas 13 aulas semanais enquanto aqui em Esperantinópolis são 15 aulas, outra coisa foi o decreto que o prefeito assinou em fevereiro de 2019 aonde ele determinou que não iria mais recolher a contribuição sindical dos sócios, outro caso foi a demissão de mais de 20 servidores da educação "todos de forma arbitrária" inclusive um dos casos a juíza determinou que o funcionário fosse restituído ao cargo, e para finalizar, em 2020 o reajuste salarial dos professores foi de 12,84%, o prefeito apresentou uma proposta de apenas 6,84%, ou seja 6% a menos que o reajuste federal. Até o momento, em três anos de gestão, não houve nenhum item aprovado na câmara de vereadores que beneficiasse a educação no município".

"Sendo assim, acredito que tudo isso foi feito com intuito de diminuir os rebates que a classe estava fazendo contra o prefeito e sua administração, pois fizemos os cálculos e vimos que dá sim, para que  seja feito o reajuste proposto pelo governo. Com tudo isso, faremos uma assembléia com a categoria, amanhã (04) às 9:30h para discutirmos e analisarmos uma melhor solução para todos esses casos", finalizou o presidente do SINPROESEMMA.
O prefeito Alusinho se pronunciou hoje (3), pela manhã na abertura dos trabalhos na Câmara Municipal de Vereadores de Esperantinópolis, sobre esse impasse com a categoria, confira o vídeo abaixo:

Comentários do Blogger

7 Comentários

  1. O de São Roberto não deu nem de 2018 e nem o de 2020, e os professores esqueceram que o sindicato tem uma parte de culpa nisso, sendo conivente com a administração depois que ganhou um terreno pra construção da sede do sindicato, os professores tem que cobrar o sindicato, ou seja todo mês é descontado dinheiro do nosso salário para o sindicato, estamos pagando para eles defenderem a administração municipal, todos sabemos que é notório que todos os membros estão sendo agraciados por se fingirem de segos.

    ResponderExcluir
  2. O de São Roberto não deu nem de 2018 e nem o de 2020, e os professores esqueceram que o sindicato tem uma parte de culpa nisso, sendo conivente com a administração depois que ganhou um terreno pra construção da sede do sindicato, os professores tem que cobrar o sindicato, ou seja todo mês é descontado dinheiro do nosso salário para o sindicato, estamos pagando para eles defenderem a administração municipal, todos sabemos que é notório que todos os membros estão sendo agraciados por se fingirem de segos.

    ResponderExcluir
  3. Cadê o sindicato de São Roberto que não se manifesta? Gilberto deve tá Alegre por ter recebido o aumento dos professores de 17% já que o mesmo é professor do estado será se por isso que não dá a mínima pra o reajuste de São Roberto, já que está omisso por dois anos?

    ResponderExcluir
  4. Tudo isso é um ato desumano, todo esse dinheiro e arrecadação de impostos, pois o dinheiro não é desse cara...não entendo essa ação perversa desse inimigo de professor...

    ResponderExcluir
  5. Cadê o Gilberto presidente do sindicato que não se manifesta? já tem dois anos que nem uma reunião faz com os professores.

    ResponderExcluir
  6. Esse cara é uma vergonha à frente desse sindicato em São Roberto. Facista de carteirinha.

    ResponderExcluir
  7. Só vivia perseguindo o Jerry. Foi o prefeito q sempre pagava abono aos professores. Pergunta pra esse tal de Gilberto qtos abonos o Mundim pagou para os professores durante sua Gestão? Traidor da classe.

    ResponderExcluir