Compartilhe essa Notícia:
Promotor de Justiça, Xilon e a Juíza de Direito  Urbanete

O Conselho de Sentença do Tribunal de Juri Popular da Vara Única da Comarca de Esperantinópolis condenou o réu, Fabrício de Paiva Brito, a 7 (sete) anos e 11 (onze) meses de prisão, acusado de ter assassinado Antonildo Bezerra de Morais, a serem cumpridos, inicialmente, em regime semiaberto na Penitenciária Regional de Pedreiras. A juíza Urbanete de Angiolis Silva, titular da unidade, presidiu a sessão, realizada ontem (16).

O crime aconteceu no dia 9 de junho de 2013, na rodoviária de Esperantinópolis, quando depois de uma discussão o acusado atingiu a vítima com golpes de faca, ocasionando a morte de Antonildo.

Segundo o Ministério Público Fabrício teria agido de forma violenta, perversa e covarde, quando destruiu a vida de uma pessoa indefesa, pois alem da desvantagem física, o fato se desenrolou de modo cruel.

O promotor de justiça Xilon de Sousa Junior falou do resultado da sentença "O Ministério Público sai da sessão de julgamento com a sensação de dever cumprido, por ter conseguido apresentar seus argumentos aos jurados de forma clara e direta, proporcionando aos juízes da causa a segurança necessária para julgar de acordo com suas convicções. Nesses casos, a decisão do Conselho de sentença representa uma mensagem de toda a sociedade, no sentido de que não se deve tolerar atos violentos tais como aquele que foi julgado pelo júri de Esperantinópolis. O Ministério Público reafirma o compromisso de estar sempre em busca da aplicação da justiça de maneira efetiva", afirmou.

Juíza de Direito, Urbanete e Promotor de Justiça, Shilon,

Comentários do Blogger

6 Comentários

  1. Pq não posta foto do acusado?

    ResponderExcluir
  2. Pq não mostrar a foto do assassino covarde? Que tirou a vida de um pai de família covardemente, e tá aí vivendo sua vida como se fosse um cidadão de bem tranquilamente anda do em meio a sociedade! Covarde!

    ResponderExcluir
  3. Quando vão visitar esses presídios que alguns educadores chamam de escola aqui no município de Esperantinópolis falta de compromisso com a educação do município visitem o anexo do colégio Jefferson Moreira no povoado Palmeiral que vcs saberão a realidade pergunte a qualquer aluno uma simples questão de português ou matemática que vcs saberão o absurdo que esses alunos aprendem não há nada pior no Maranhão do que o ensino público de Esperantinópolis deixo aqui minha denuncia e minha revolta contra esses educadores ultrapassados que hoje sugam o dinheiro público sem mostrar qualidade no ensino chega de impunidade.

    ResponderExcluir
  4. A pior educação do Maranhão está na cidade de Esperantinópolis tentem fazer um teste com alguns alunos do povoado Palmeiral e tirem suas conclusões

    ResponderExcluir
  5. Gestão ultrapassada que não sabe onde começa e termina o direito de um cidadão chega de impunidade

    ResponderExcluir