Compartilhe essa Notícia:

Revista procurou ministro antes de publicação, mas não aceitou a condição de enviar previamente a ele o material dos diálogos de forma virtual.
Na manhã desta sexta, 5, o ministro da Justiça Sergio Moro publicou uma nota comentando a capa da última edição de VEJA, “Justiça com as próprias mãos”. A reportagem traz diálogos inéditos analisados pela parceria VEJA e o site The Intercept Brasil mostrando irregularidades cometidas por Moro como juiz da Lava-Jato.

Fora dos autos, ele pediu à acusação que incluísse provas aos processos que chegariam depois às suas mãos, mandou acelerar ou retardar operações e fez pressão para que determinadas delações não andassem. Além disso, revelam os diálogos, comportou-se como chefe do Ministério Público Federal, posição incompatível com a neutralidade exigida de um juiz. Na privacidade dos chats do Telegram, Moro revisou peças de procuradores e até deu bronca neles.

Os jornalistas de VEJA tentaram entrevistar o ministro pessoalmente antes da publicação da capa para expor a ele esse conteúdo e ouvir suas explicações, mas a revista não aceitou a condição de enviar previamente a ele o material dos diálogos de forma virtual. De qualquer forma, VEJA agradece a atenção dedicada à reportagem pelo ministro na nota divulgada. Moro voltou a não reconhecer a autenticidade das mensagens e dedicou respostas detalhadas aos pontos que considerou mais importantes da reportagem de capa da revista. Segue a íntegra dos itens destacados pelo ministro, seguidos por comentários de VEJA.

Comentários do Blogger

0 Comentários