Compartilhe essa Notícia:

Uma sessão marcada por despedidas, emoções e homenagens. A Câmara Municipal de Esperantinópolis encerrou nesta terça-feira, 15, suas atividades na atual legislatura, cujas atividades iniciaram em 2017. 

Entre os parlamentares que encerram suas atividades legislativas estão o presidente da Câmara Municipal, Gilson Vieira, que não foi candidato à seu terceiro mandato por problemas de saúde; o vice-presidente Edízio Gomes (Lula), que desistiu da campanha na reta final; Frankson Carneiro, que foi candidato a vice-prefeito na última eleição; a vereadora Nildete Branco, que abriu mão de sua candidatura em favor de seu esposo Kleber Branco; Diana Vieira, que não se elegeu, ficando na suplência; e Antônio Luis, que abriu mão de sua candidatura em favor de seu filho, que também não teve êxito nas urnas.

Os demais, Hudivane Brito, Risomar, Chiquinho Boa Vontade, Braqueara e Mihayllove retornarão para a próxima legislatura. Homenagens Na sessão estavam presentes os titulares dos três poderes da esfera municipal, o prefeito Aluizinho do Posto (Executivo); a juíza de Direito da Comarca de Esperantinópolis, Urbanete de Angiolis Silva (Judidicário) e Gilson Vieira, que presidiu a sessão (Legislativo). 

Os pronunciamentos de todos os vereadores se voltaram para a despedida do ano legislativo e para a homenagem à titular do judiciário, que recebeu o título de Cidadã Esperantinopense. Na oportunidade também foi concedida Moção de Aplauso ao jovem Gabriel Ibiapina. 

Em outros momentos foram bastante pontuadas as ações desenvolvidas pelo presidente do Legislativo Municipal, Gilson Vieira, que fez, de acordo com os demais parlamentares, um trabalho diferenciado na presidência da Casa Legislativa. 

“Soube conduzir de forma democrática e respeitosa com todos os seus pares, este período como presidente”, ressaltou o vereador Lula. 

A juíza Urbanete de Angiolis, após receber o título de Cidadã Esperantinopense e uma insígnia com o Brasão de Esperantinópolis, agradeceu ao presidente pela indicação e aos demais vereadores por aprovar.

“Agora me sinto uma legítima filha da Terra da Esperança. Vim lá do Amazonas, mas aprendi a gostar do Maranhão, onde já atuo profissionalmente há algum tempo, e hoje recebo esta honraria, este título de Cidadã, que é um a grande honra. Aqui não apenas trabalho, resido em Esperantinópolis com meus familiares e aqui estou todos os dias”, disse a magistrada.

 Despedida do presidente

Gilson Vieira iniciou seu discurso de despedida falando dos momentos difíceis de sua doença, desde 2017, as cirurgias, o tratamento, enfim, sua luta contra um câncer. Lembrou da perda de sua mãe, das lutas diárias pela vida. Após uma pausa, lágrimas que emocionaram a todos os presentes, o presidente fez um balanço de suas ações, citando a reforma e modernização da Câmara Municipal, a implantação da Biblioteca Legislativa, que considera um sonho realizado, e também explanou sobre os servidores, os colegas parlamentares, o apoio do prefeito Aluizinho na sua caminhada na presidência da Casa Legislativa.

“Hoje estou triste porque estou deixando esta casa, que é minha casa, onde vivi maior parte do tempo nos últimos anos; mas estou feliz e saio com a cabeça erguida por ter contribuído para a melhoria de vida do nosso povo”, finalizou agradecendo a todos.

 No seu discurso de despedida, o presidente Gilson Vieira, citou um convite do prefeito Aluizinho do Posto para um trabalho em seu governo e disse que aceitou o convite e pediu um tempo para cuidar de seu tratamento de saúde.

Vídeo: 




































































































































Comentários do Blogger

7 Comentários

  1. ESPERANTINÓPOLIS - Município é condenado a anular contratações temporárias e nomear aprovados em concurso
    https://www.mpma.mp.br/index.php/lista-de-noticias-gerais/16444-esperantinopolis-municipio-e-condenado-a-anular-contratacoes-temporarias-e-nomear-aprovados-em-concurso.

    ResponderExcluir
  2. Olá boa noite . Eu e os demais excedentes do concurso estamos em busca de informações sobre o resultado do processo dos excedentes do concurso de 2015, existe relatos de que o gestor está pagando uma multa por semana de 30.000 da decisão proferida pela Juíza Urbanete de angiolis Silva em convocar os excedentes no prazo de 60 dias e até o momento o gestor não acatou a sentença proferida.
    Contamos com o seu canal de comunicação para divulgar as informações a respeito do concurso de Esperantinópolis - Ma, de já agradecemos por sua colaboração.
    O Município é condenado a anular contratações temporárias e nomear aprovados em concurso.
    https://www.mpma.mp.br/index.php/lista-de-noticias-gerais/16444-esperantinopolis-municipio-e-condenado-a-anular-contratacoes-temporarias-e-nomear-aprovados-em-concurso

    ResponderExcluir
  3. Boa noite.também sou excedente do concurso de 2015.não entendi ainda porque não convocaram os excedentes,sendo que já foi proferida a decisão pela juíza e mesmo assim estão amarrando as convocações que sabemos que é um direito nosso conquistado na justiça. Enquanto isso o Prefeito Aluisinho está pagando multa de 30 mil reais por semana em vez de chamar os concursados, isso é uma vergonha o que está acontecendo em Esperantinópolis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, sou também excedente e quero que tudo ocorra bem, afinal somos guerreiros(a) só queremos que a lei seja cumprida de forma legal.

      Excluir
    2. Até quando a lei será branda a esses politicos? Sabe é preciso esperar até quando? Tem 2 leis Municipais que levam sempre vantagem sobre nós que realizamos o concurso, cansado não, além, deste já agradeço por esse meio de comunicação de expressar o meu repúdio de indgnação a respeito de tudo isso.

      Excluir
  4. Sou natural de Esperantinopolis-Maranhão e sou excedente, tenho vergonha em dizer que fiz o concurso e até este momento fico surpreso com o descaso que os gestores trata os mesmos, como eu que sou morador que passou neste concurso e nunca fui chamado, dando oportunidades a quem quem não relizou o concurso. Enquanto existir isso em nosso meio, quem estuda é práticamente viver sempre a mercêr deles que pinta e borda na prefeitura relizando leis municipais e contratando de forma que quiser, lamento tudo isso a expectativa de esperar da justiça lenta como essa!.

    ResponderExcluir
  5. Queremos justiça somos trabalhadores que estudou e fizemos o concurso em 2015 para obter uma vaga na esfera Municipal, mas feliz ou infelizmente tudo isso será possivel?

    ResponderExcluir