Compartilhe essa Notícia:



O Republicanos saiu fortalecido nas urnas neste domingo (15) ao eleger 211 prefeitos e 181 vice-prefeitos em todo o Brasil. O partido ficou na 10ª posição no número de prefeitos e evoluiu de forma expressiva na comparação com a última eleição municipal. Em 2016, o Republicanos conquistou 104 prefeituras. Neste ano, 107 a mais, o que corresponde ao crescimento de 103%, alçando o Republicanos a figurar entre os 10 maiores partidos em números de prefeitos do Brasil.

Minas Gerais foi o estado com o maior número de prefeitos eleitos: 41. Em segundo lugar, aparece o Maranhão com 24 prefeitos. São Paulo fez 21 prefeitos e Paraíba vêm em seguida com 17 prefeitos.

Para as câmaras municipais, o Republicanos elegeu 2.603 vereadores em todo o país. A diferença foi de 983 eleitos em comparação a 2016, quando o partido elegeu 1.620 vereadores. Minas também foi o estado que mais elegeu vereadores: 371, seguido de São Paulo com 311, e Maranhão com 203 eleitos para o Legislativo municipal.

Destes, 53 foram eleitos em 24 capitais. Com destaque para a segunda maior capital do país, o Rio de Janeiro conquistou sete cadeiras ao reeleger cinco vereadores: Carlos Bolsonaro, Inaldo Silva, João Mendes, Tânia Bastos, Ulisses Marins e Zico e eleger Celso Costa para o primeiro mandato.

Em São Paulo, a sigla conquistou quatro cadeiras no Legislativo da principal capital brasileira e maior colégio eleitoral do país. Foram eleitos dois vereadores e reconduzidos ao cargo os republicanos André Santos e Atílio Francisco.

Em Macapá, capital do Amapá, a eleição foi suspensa para o dia 13 de dezembro. O estado vive um racionamento devido a um apagão iniciado em 3 de novembro após incêndio que atingiu a subestação de energia mais importante do estado.

Além de um número expressivo de prefeitos eleitos, o partido disputará o segundo turno em três capitais, sendo Rio de Janeiro, com Marcelo Crivella, que obteve mais de meio milhão de votos no primeiro turno. Ele enfrentará Eduardo Paes. Entre os votos registrados em urna, 6,54% foram brancos e 12,69% foram nulos.

Em Vitória (ES), o republicano Delegado Pazolini recebeu 53.014 votos, o que representa 30,95 % dos votos. Ele recebeu 15,5 mil votos a mais que Joao Coser (PT) nas urnas, que será seu adversário no segundo turno.

O partido também disputará o segundo turno em São Luís, no Maranhão, após o republicano Duarte receber o apoio de 113.430 eleitores nas urnas. O número representa 22,15% dos votos válidos. Duarte enfrentará Eduardo Braide.

O grande destaque vem do estado de São Paulo. Lá, no município de Francisco Morato, a republicana Renata Sene foi reeleita com 72.351 votos, equivalente a 86,99% dos votos. A republicana derrotou Rogerio Lafrione (PDT), que ficou em segundo lugar com 6,12% (5.090 votos).

No estado do Maranhão, outro destaque importante foi a reeleição do prefeito de Caxias, Fábio Gentil. O republicano obteve 78,17% dos votos válidos. O candidato derrotado para o republicano ficou apenas com 13,01% dos votos.
Disputa em cidades com mais de 200 mil eleitores

O Republicanos disputa também o segundo turno em outras cidades com mais de 200 mil eleitores: Sorocaba (SP) com a candidatura de Rodrigo Manga, e Campinas com Dário Saadi.

Em Sorocaba, Rodrigo Manga obteve 39,42% (116.020 votos) e disputará o segundo turno com a candidata Jaqueline Coutinho (PSL) – 16,63% (48.955 votos). Já em Campinas, Dário Saadi obteve 25,78% (121.932 votos) e enfrentará Rafa Zimbaldi (PL) – 21,86% (103.397 votos).

Embora tenha sido um ano atípico por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o partido conseguiu superar este ciclo ao apresentar boas propostas para encarar as dificuldades enfrentadas pelos municípios.

Republicanos elege 27 prefeitas no primeiro turno

O constante investimento do Republicanos para ampliar a participação das mulheres na política surtiu efeito positivo nestas eleições, e o partido conseguiu eleger 27 republicanas prefeitas das 103 candidatas ao executivo municipal. O número representa um crescimento de 145,4%, em comparação ao pleito municipal anterior, quando foram eleitas 11 republicanas. Juntas as republicanas contabilizaram mais de 252 mil votos nas urnas.

Saiba mais

Segundo a Constituição, o segundo turno para prefeito ocorre quando nenhum dos candidatos obtém, no primeiro turno, mais da metade dos votos válidos, ou seja, dos votos dados exclusivamente aos candidatos que concorreram ao cargo. A norma vale para municípios com mais de 200 mil eleitores.

Neste caso, disputam o segundo turno os dois candidatos a prefeito mais votados.

Comentários do Blogger

1 Comentários

  1. Caro amigo Carlos Barroso, o que você tem contra o Prefeito Aluísio Carneiro, pois o mesmo foi reeleito com uma ampla vantagem, e você não publicou nada a respeito da reeleição dele.

    ResponderExcluir