Compartilhe essa Notícia:
Maranhão tem 188 municípios com casos confirmados de Covid-19 ...

Dados do Ministério da Saúde registram que quatro municípios maranhenses estão entre as dez cidades brasileiras com menor aumento de casos da Covid-19 nos últimos 14 dias. Três deles ocupam os primeiros lugares do ranking nacional, em primeiro lugar está o município de Paço do Lumiar, com índice de 5,17%, seguido por São Luís (7,13%) e São José de Ribamar (7,96%).

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destaca o papel das medidas preventivas na contenção da transmissão. “Desde o início do enfrentamento da doença no Maranhão, investimos na adoção de medidas preventivas e, com a colaboração da população, estamos avançando no combate, alcançando indicadores que comprovam a baixa transmissibilidade da doença em nosso estado”, enfatiza o secretário.

O critério utilizado tomou como base as cidades brasileiras com melhor resultado em um período de 14 dias, entre 14 de junho até o último sábado (27). Esse período foi escolhido porque é o tempo que os especialistas afirmam ser necessário para que as medidas tomadas comecem a ter efeito.

Além de ocupar os três primeiros lugares do ranking, o Maranhão aparece ainda em sexto lugar com a cidade de Codó. As outras cidades brasileiras que aparecem entre as dez com menor aumento de casos da Covid-19 nos últimos 14 dias são Barbacena – MG (8,54%), Abaetetuba – PA (9,58%) e as pernambucanas São Lourenço da Mata (11,26%), Camaragibe (11,72%), Paulista (11,87%) e Recife (11,99%).

Comentários do Blogger

2 Comentários

  1. Gente, o Centro de Ensino Antônio Correa com uma média de 387,62 na redação. Que absurdo.
    Professores, o que é que vocês estão ensinando pra esses alunos?
    Gestores, vamos ser mais criteriosos na seleção desses professores pelo amor de Deus.
    Um aluno de 3° ano, todos os dias na escola tirar essa nota é inadmissível, uma vergonha, e não é vergonha pro aluno, é pros professores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dentre as atribuições do professor de Língua Portuguesa dos Ensino Fundamental II e Ensino Médio creio que não consta alfabetizar.
      A verdade é que boa parte dos estudantes chegam na primeira série do curso com uma péssima base em tudo. Se avaliassem o aprendizado nas disciplinas de História ou Geografia assim como fazem com Matemática e Língua Portuguesa, os resultados não seriam menos piores. Culpar os professores pelo desempenho fraco dos alunos é uma atitude evasiva, pra não dizer covarde, de pessoas (pais, gestores, secretários de educação) que concebem uma escola como um depósito pra onde mandam pessoas.
      Claro que há profissionais ruins, em todos os lugares há, daí a necessidade dos concursos públicos, porém, reduzir uma questão complexa que é a educação à mera prática pedagógica do professor em sala de aula é demonstrar ignorância sobre o tema.
      Há uma série de fatores que concorrem pra que seu "futuro" médico ou advogado não se saia bem nas avaliações, a começar pelo próprio aluno, ou seja, aquele que não é estudante e que só assiste aulas (Piazzi, 2008), que passa o dia no free Fire, assistindo sei lá Deus o quê no celular, logado diuturnamente nas redes sociais; depois tem a omissão dos pais ou responsáveis que veem tudo isso e não tratam de ir conversar com os filhos; depois tem o prefeito que vê nos cargos de professor da educação infantil, ensino fundamental I e Ensino Fundamental II apenas oportunidades de angariar votos; e ainda tem MEC com sua política educacional.
      Por que culpar só os professores? É impossível reparar o analfabetismo não só em relação à L. Portuguesa como também o analfabetismo em Matemática e ciências, estando com o aluno em sala apenas durante alguns momentos da semana e ainda cumprir o programa dos conteúdos do ensino médio. Eles, os professores do Ensino Médio, recebem pra ensinar conteúdos do Ensino Médio.
      E você, que é aluno, corra atrás viu? Seja um estudante. Não espere os criadores de políticas públicas melhorarem o ensino brasileiro nem se amotine com outros pra falar mal de sua escola. Chegue em casa vá rever os conteúdos. Converse com seu professor (a) principalmente. Fale com alguém sobre suas dificuldades.

      Excluir