Compartilhe essa Notícia:
O governador Wellington Dias decretou estado de calamidade no Piauí por causa do coronavírus. O decreto, que ainda não foi divulgado, será enviado ainda nesta quinta-feira (19) para a Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) e só terá validade após os deputados aprovarem. No documento, o Governo do Estado proíbe a realização de eventos e a restrição de funcionamento de bares, restaurantes e shoppings. O anúncio foi feito no Palácio de Karnak durante entrevista coletiva.
“O objetivo é agilizar para que dentro do Piauí possamos trabalhar numa situação que vai além da urgência e emergência. Poder garantir as condições de ter recursos humanos e financeiros voltados para este objetivo. É um decreto de calamidade voltado para este objetivo de lidar com os efeitos do coronavírus. Estamos também fazendo uma nova etapa de medidas. Medidas mais fortes do que já tínhamos feito antes. Estamos determinando que sejam suspensos todos e qualquer evento, em qualquer área, particulares inclusive, na linha da prevenção. Além do não funcionamento de bares, restaurantes e shoppings”, disse o governador.
“Precisamos reduzir acidentes, a demanda de acidentados para viabilizar condições de atendimento aos que por ventura precisar”, acrescentou Wellington Dias.
A solenidade teve a presença do prefeito de Teresina, Firmino Filho; do prefeito de Timon, Luciano Leitoa; do presidente da APPM, Jonas Moura, além de outras autoridades.
Segundo o governador, o decreto acompanha a decisão do governo federal e do Congresso Nacional. “Vamos encaminhar ainda hoje para a Assembleia Legislativa do Piauí. A Assembleia deverá homologar ou não o decreto de calamidade”, afirmou o governador.
O governador disse ainda que o Estado irá apresentar um plano para a área de transporte. “Em Teresina e outras cidades vamos apresentar o plano para funcionamento apenas no horário de pico. Também destaco que vamos colocar controle em todas as entradas do Estado. Vamos preparar equipes para isso. A Polícia Militar, o Exército, guardas municipais para garantir o controle nas entradas. Isso para garantir que tenhamos medidas de prevenção de pessoas. São pessoas que se deslocam em outros estados, alguns clandestinos que deslocam para nosso estado. Se tem condição do isolamento social, no período de sete dias, para evitar a transmissão”, detalhou.

Wellington Dias lembrou que 2020 e um ano eleitoral. Ao lado de Firmino Filho, ele disse que as divergências políticas devem ser deixadas de lado. “Vivemos em um ano eleitoral. Embora seja incerto o que vai ocorrer, reforço a necessidade da maturidade política em todos os municípios.  Independente de que é governo ou oposição. A situação é muito grave. Queremos evitar que alcancem as situações que outros alcançaram. Se houver propagação sem controle não haverá profissionais e leitos para todos”, destacou.
Apesar da situação grave, Wellington pediu para que as pessoas não entrem em pânico. “De um lado não criar pânico, mas fazer as pessoas compreenderem a gravidade do momento. A melhor receita é que a prevenção é o melhor caminho. Precisamos do apoio de todos”, disse, chamando atenção para as entradas do estado.
“Temos 220 pontos de entradas por rodovias e aeroportos. Vamos preparar a Polícia, o Exército e Marinha para contar com o apoio e garantir o cumprimento da regra. Isso para prevenir o mais grave”, disse.
Fonte: Cidade Verde

Comentários do Blogger

0 Comentários