Compartilhe essa Notícia:

 

Equipe reavaliou o cenário em Timon



Ampliar as operações, implantação de um plantão de homicídios e reforço do plano de ação conjunta contra o crime organizado. Estas foram as principais medidas definidas em reunião da Polícia Civil, com presença de delegados da capital e interior. O encontro, convocado pela Delegacia Geral, foi realizado nesta terça-feira (03), no Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), em Timon. 

No encontro, os delegados reavaliaram o cenário em Timon, no que refere aos crimes contra a vida, narcotráfico e crime organizado. O plano inclui implantação do Plantão de Sobreaviso da Homicídios, tratamento dos inquéritos de crime organizado, operações conjuntas, criação de comissão para organizar trabalho sistemático contra este crime na região e ampliação das atividades em andamento. 

“A Delegacia de Homicídios de Timon vem se destacando no combate ao crime organizado na região e este encontro serviu para alinharmos outras ações e avaliar o trabalho já realizado. No planejamento, vamos intensificar o trabalho de repressão ao crime organizado no município e região, prestando apoio à equipe local e reforçando as operações em curso”, destaca o delegado geral de Polícia Civil, Armando Pacheco. 

O titular da Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP), delegado Lúcio Reis, enfatizou que remodelações serão promovidas em Timon, para garantir mais celeridade no combate aos crimes, principalmente, os de organizações criminosas. “A reunião foi muito proveitosa e o que ficou definido vai contribuir significativamente para qualificar e melhorar o bom trabalho que já está sendo executado na cidade”, destaca o delegado Lúcio Reis. 

O delegado regional de Homicídios de Timon, Antônio Valente Filho, aponta a migração de grupos do crime organizado para Timon e a consequente disputa de facções que geram criminalidade crescente na área e entorno como principais situações do município. “É uma cidade diferenciada pela proximidade a uma capital que também sofre com a ação destes grupos. Boa parte dos registros de morte são fruto da guerra das facções, Neste encontro, pontuamos estratégias e avaliamos as situação”, explica.

“Temos feito operações voltadas especificamente para este combate, a fim de frear o avanço destas organizações criminosas. O resultado são prisões de líderes, fazendo com que diminua a ação deles e reduza os homicídios”, reforça o delegado Antônio Filho. Em Timon, estão em andamento quatro operações voltadas ao combate deste crime. Já somam quatro inquéritos instaurados e 28 prisões realizadas. O trabalho é permanente. 

Participaram ainda da reunião, representantes da Delegacia Geral Adjunta; Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI); Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc); do Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO), que integra a Superintendência Especial de Investigação Criminal (Seic); e delegacias de Timon.

Comentários do Blogger

0 Comentários