Compartilhe essa Notícia:
Uma gravação em que agentes uniformizados retiram um homem de um túmulo foi amplamente compartilhada em redes sociais, desde janeiro de 2019, como se o protagonista das imagens tivesse sido enterrado vivo. Embora real, o vídeo mostra uma história diferente: o homem entrou na sepultura sozinho com a intenção de se despedir de seu pai e acabou ficando preso no local.

“Homem é enterrado vivo no Acre e por um milagre, alguém ouviu os pedidos de socorro da vítima vindos do interior de uma ‘sepultura’ e acionou a polícia (...) graças a Deus os Guerreiros obtiveram êxito na ação e salvaram o rapaz”, dizem as publicações, compartilhadas centenas de vezes no Facebook (1, 2, 3) desde 10 de janeiro de 2019.

O vídeo, no qual dois agentes com uniformes militares ajudam um homem a sair de um túmulo, também ilustra postagens que afirmam que o episódio aconteceu no estado do Maranhão. “Um erro médico fez homem ser enterrado vivo, o ocorrido aconteceu hoje a tarde no Maranhão”, escreveu um usuário ao publicar as imagens. 
Captura de tela feita em 29 de junho de 2020 mostra vídeo publicado no Facebook

Alguns internautas duvidaram, contudo, das informações presentes nas legendas. “Como ele abriu o caixão se ele é selado? Muito estranha essa história”, comentou um usuário. “Gente olha a roupa, descalço…”, apontou outro.

De fato, o vídeo viralizado não mostra um homem que foi enterrado vivo.

Uma busca reversa no Google por capturas de tela da gravação levou a artigos (1, 2, 3) publicados em janeiro de 2019 que afirmam que o homem foi ao cemitério, localizado na cidade de Tarauacá, no Acre, para visitar o túmulo de seu pai.

Segundo as reportagens, o jovem não conseguiu comparecer ao velório por morar em uma cidade distante e, na tentativa de “se despedir do pai”, teria removido a parte de concreto que guardava o corpo e entrado no túmulo, onde ficou preso. Seus gritos pedindo ajuda teriam chamado a atenção dos funcionários do cemitério, que convocaram a polícia para resgatá-lo.

De acordo com uma rádio local, o homem sofria de distúrbios psicológicos e teria ido andando ao cemitério desde a cidade de Feijó, localizada a cerca 50 de quilômetros de Tarauacá.

De fato, no vídeo, quando um agente pede que o jovem faça força com a perna para sair do túmulo, ele diz: “Não tenho força não. Eu vim de Feijó a pé”.

Contactada pela equipe de checagem da AFP, a Prefeitura de Tarauacá confirmou que o vídeo foi gravado na cidade e que o homem entrou sozinho no túmulo com a intenção de se despedir de seu pai.

“Todas essas informações são referentes à situação que ocorreu no município, no início do ano de 2019”, disse um porta-voz da Prefeitura ao AFP Checamos.

Uma comparação entre os uniformes vistos no vídeo e as roupas que aparecem em fotos publicadas na página oficial da Polícia Militar do Estado do Acre no Facebook permite confirmar que esta é a força policial que aparece no vídeo.

Em ambos os casos, um escudo preto com detalhes em branco sobre outro com as cores da bandeira do Acre podem ser identificados na manga direita do uniforme. 
Comparação entre captura de tela do vídeo viralizado (esquerda) e foto publicada na conta oficial da Polícia Militar do Estado do Acre no Facebook

Este mesmo vídeo circulou em maio deste ano como se mostrasse um homem que foi sepultado vivo após ser declarado morto por COVID-19.

Em resumo, o vídeo viralizado não mostra um homem que foi enterrado vivo. O protagonista das imagens entrou sozinho no túmulo na tentativa de se despedir de seu pai e acabou ficando preso.

checamos.afp.com

Comentários do Blogger

0 Comentários