Compartilhe essa Notícia:

Os seis municípios da região de saúde de Barra do Corda assinaram, na segunda-feira (2), o termo de adesão Planificação da Atenção à Saúde (PAS), adotada pelo Governo do Maranhão e proposta pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que trabalha a qualificação da atenção à saúde da população, através, principalmente, da organização dos processos de trabalho na Atenção Primária à Saúde (APS), na Atenção Especializada (AE) e Hospitalar.

Assinaram o termo de adesão os municípios Arame, Barra do Corda, Fernando Falcão, Grajaú, Itaipava do Grajaú e Jenipapo dos Vieiras. O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destacou que a estratégia foi implantada com sucesso nas regiões de Balsas, Caxias e Timon, e que teve início em São João dos Patos, porém em Barra do Corda será um trabalho diferenciado dada as características da região, que possui indígenas de quatro etnias – Guajajara, Canela (Apányekrá e Ramkokamekra), Timbiras e Kreniê.

“O mais importante e desafiador é que é uma área predominantemente indígena. São outros hábitos, outra cultura, outra forma de vivência. Historicamente, em áreas indígenas e quilombolas os indicadores são piores que os indicadores médios. Nosso desafio é melhorar esses indicadores. A Planificação é um processo que busca, a partir dos recursos que já existem, fazer mais, melhorando processos de trabalho e qualificando as ações e profissionais”, disse.

Prefeita de Arame, Jully Menezes achou importante a proposta. “O projeto visa o atendimento da atenção básica de qualidade. Fazendo esse primeiro atendimento de qualidade diminui a mortalidade materna e infantil, porque tudo começa na atenção básica. É ainda a primeira reunião, mas acredito que vai dar certo”, afirmou.
Secretário Carlos Lula durante encontro com os gestores de Barra do Corda (Foto: Márcio Sampaio)

O deputado estadual Fernando Pessoa acompanhou a reunião. “É um grande desafio da Secretaria de Saúde, porque além de diminuir a mortalidade materno-infantil na regional, busca tratar melhor os indígenas e as pessoas que habitam na regional”, ressaltou.

Após esta etapa de esclarecimento e pactuação, será realizado um levantamento sobre as estruturas existentes na região. Logo após, será pautada na Comissão Intergestores Regional (CIR) da região o tema.

“Será feito um seminário de abertura com toda região e, em meados de abril, tem início as aulas teóricas e tutoria nas unidades laboratório, que é o processo de implantação da organização de serviços dessas unidades e do ambulatório especializado”, informou Ana Carolina Fernandes, chefe do Departamento de Atenção à Saúde da Família e coordenadora estadual do PlanificaSUS.

Comentários do Blogger

0 Comentários