Governador Flávio Dino participa de Encontro Anual da Fesma (Foto: Márcio Sampaio)

Governador Flávio Dino participa de Encontro Anual da Fesma (Foto: Márcio Sampaio)

Os últimos dois anos foram marcados pelo trabalho realizado pelo Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), no combate à pandemia da Covid-19. E as atividades desempenhadas pela Força Estadual de Saúde do Maranhão (Fesma), vinculada à SES, estiveram em evidência durante o Encontro Anual da Força Estadual de Saúde do Maranhão, realizado na última terça-feira (21) no auditório do Palácio Henrique de La Rocque. 

O governador Flávio Dino agradeceu a toda a equipe da saúde do estado pelo importante trabalho durante a pandemia e destacou que graças ao senso coletivo, o estado do Maranhão teve a menor taxa de mortalidade por coronavírus em todo o Brasil, uma grande conquista da saúde pública.

“Daqui há alguns anos haverá um conjunto de obras literárias em todas as áreas de conhecimento sobre o coronavírus, e lá estará a pergunta: Como um estado pobre, fruto de desigualdades sociais e regionais conseguiu esse feito? E sempre que eu for ouvido nessas pesquisas darei a seguinte resposta: conheçam o trabalho da Força Estadual de Saúde que vocês irão entender as coisas boas que aconteceram no Maranhão nesse período”, comentou o governador Flávio Dino. 

Com o surgimento da pandemia do coronavírus, a Fesma tornou-se a equipe tática do Governo que é escalada para todos os municípios, de forma imediata, que precisam de atendimento de urgência, suporte no apoio institucional, digitação, testagem e vacinação contra a Covid-19. 

“A Força Estadual de Saúde vai onde ninguém vai, onde muitas vezes não vai nem os próprios agentes públicos municipais. E isso é motivo de muito orgulho para nós”, disse o secretário de Estado de Políticas Públicas (Seepp), Marcos Pacheco. 

A secretária adjunta da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde/SES, Waldeise Pereira, destacou a importância do trabalho da Fesma no combate à pandemia. 

“A Fesma, para além do seu foco de trabalho, contribuiu muito durante sua atuação na pandemia, trabalhando nas unidades de saúde, nos municípios que mais precisaram de ações emergenciais de busca e manejo para os pacientes com Covid-19. Atuando assim, para além do seu roll de alcançar, gestantes, crianças, hipertensos e diabéticos. Foi uma força tarefa de profissionais qualificados para vencer a pandemia“, afirmou Waldeise Pereira. 

No ano de 2021, foi iniciado, também, o atendimento específico em comunidades quilombolas. Atualmente, a Fesma Quilombola possui seis equipes em 12 municípios, abrangendo 48 comunidades. Em 2022 será ampliada para 28 municípios, atendendo 112 comunidades. “O trabalho da Força Estadual de Saúde é muito gratificante, pois eles levam a saúde para os locais mais distantes. Somos uma equipe preparada para atuar, inclusive no combate à pandemia, desde o ano de 2020, dando continuidade neste ano com a Missão Vacina, para imunizar os maranhenses contra Covid-19”, ressaltou a coordenadora da Fesma, Cheila Farias. 

Durante o evento, foram entregues placas de honra ao mérito para as autoridades presentes e para profissionais da Fesma. Também participaram do encontro, a primeira-dama do Estado, Daniela Lima; o secretário adjunto da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Bruno Lacerda, e a secretária adjunta da Secretaria de Igualdade Racial, Socorro Guterres. 

Governador Flávio Dino participa de Encontro Anual da Fesma (Foto: Márcio Sampaio)

Fesma

A Fesma foi criada por meio do Decreto nº 30.616, de 2 de janeiro de 2015, com alteração para o Decreto nº 31.891, de 21 de julho de 2016. A Fesma é uma força-tarefa de atuação nos cenários de maior prioridade na saúde maranhense com foco na diminuição da mortalidade infantil, da mortalidade materna (óbitos relacionados ao parto), das internações por complicações do diabetes e hipertensão, e na identificação e tratamento da hanseníase, com resultado em curto e médio prazo, que se utiliza de técnicas e ações estratégicas, além de gestão diferenciada – com intervenções que visam também a qualificação das equipes de saúde locais (municipais). 

De 2015 até agora, foram mais de 1 milhão de atendimentos. Em áreas de difícil acesso, comunidades ribeirinhas, aldeias indígenas, quilombolas, por exemplo, foram 239.135 mil doses de vacinas contra Covid-19 aplicadas, em 99 municípios. 

Os profissionais da Fesma atuam em 12 regiões de saúde e em 48 comunidades quilombolas. Além de darem suporte a todos os municípios maranhenses que solicitam apoio institucional no enfrentamento à pandemia, testagem e vacinação contra a Covid-19. São 19 equipes compostas por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, técnicos de enfermagem e motoristas.

Comentários do Blogger

0 Comentários