Compartilhe essa Notícia:

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, listras
Comandada pelo Tenente José Antonio, a Polícia Militar em conjunto com a Polícia Civil de Esperantinópolis, conseguiram rapidamente localizar e efetuar as prisões dos suspeitos no atentado a vida de Plínio Barroso Filho, Secretário de Juventude de Igarapé Grande.

Os dois indivíduos identificados como, Darlei Silva Leita e Jafer Silva Leite Barbosa, são os principais suspeitos na tentativa de homicídio de Plínio.

Segundo informações repassada pela polícia o motivo que levaram ao crime, seria por conta da aposentadoria de uma das irmãs dos suspeitos. Plínia teria agilizado o processo de aposentadoria da mulher e quando o dinheiro foi liberado, o secretária teria ficado com uma parte do valor, gerando assim uma revolta dos familiares.

Em seguida, ao ser cobrado do dinheiro, Plínio também teria agredido o pai dos elementos durante uma discussão. Para a polícia, o crime seria uma vinganças por conta dos acontecimentos anteriores.

O atentado aconteceu ontem (26), por volta das 17:30, no Povoado Palmeira, município de Esperantinópolis, em uma propriedade particular, que pertence a vítima. Plínio foi atingido de rapão na cabeça por uma arma de fogo. 

A vitima recebeu os primeiros socorros no Hospital Santa Marta em Esperantinópolis,depois encaminhado para o Hospital Geral de Igarapé Grande e em seguida levado para Presidente Dutra, aonde foram realizados Raio-X e outros exames preliminares.

Plínio recebeu alta hoje (27) e neste momento se encontra em sua residencia, na cidade de Igarapé Grande. Assim que possível, o mesmo fará o reconhecimento dos possíveis criminosos.

Os elementos estão presos na Delegacia de Polícia Civil de Esperantinópolis para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

Comentários do Blogger

8 Comentários

  1. Tem vários espertinho igual a esse Plínio aí que merecem mesmo uma bala na testa. Eles já ganham muito bem por aposentar os senhores de idade e ainda faz empréstimo sem eles saberem e ficam com tudo e dar só o cartão com menos da metade do salário mínimo prós velhinhos...

    ResponderExcluir
  2. AGORA CABE AO MINISTERIO PUBLICO TAMBEM APURAR O QUE FOI RELATADO, NINGUEM TEM O DIREITO DE ATIRAR EM NINGUEM, COMO TAMBEM NAO TEM O DIREITO DE FICAR COM O DINHEIRO DE UM POBRE APOSENTADO....TEM MUITA GENTE AI NA REGIAO FICANDO RICO COM ESSAS COISAS DE APOSENTADORIA

    ResponderExcluir
  3. não faz as coisa direito e espera pela justiça resolver e q não da ate porq e lenta demais, o espertinho ai quase se lascou.

    ResponderExcluir

  4. Aprenda a chamar a polícia, texto de Luis Fernando Veríssimo


    Eu tenho o sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia alguém andando sorrateiramente no quintal de casa. Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro. Como minha casa era muito segura, com grades nas janelas e trancas internas nas portas, não fiquei muito preocupado, mas era claro que eu não ia deixar um ladrão ali,espiando tranquilamente. Liguei baixinho para a polícia, informei a situação e o meu endereço. Perguntaram- me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa. Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível. Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma: - Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal. Não precisa mais ter pressa. Eu já matei o ladrão com um tiro da escopeta calibre 12, que tenho guardada em casa para estas situações. O tiro fez um estrago danado no cara! Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV e a turma dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo. Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de assombrado. Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do Comandante da Polícia. No meio do tumulto, um tenente se aproximou de mim e disse: -Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão. Eu respondi: - Pensei que tivesse dito que não havia nenhuma viatura disponível

    ResponderExcluir

  5. Aprenda a chamar a polícia, texto de Luis Fernando Veríssimo


    Eu tenho o sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia alguém andando sorrateiramente no quintal de casa. Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro. Como minha casa era muito segura, com grades nas janelas e trancas internas nas portas, não fiquei muito preocupado, mas era claro que eu não ia deixar um ladrão ali,espiando tranquilamente. Liguei baixinho para a polícia, informei a situação e o meu endereço. Perguntaram- me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa. Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível. Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma: - Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal. Não precisa mais ter pressa. Eu já matei o ladrão com um tiro da escopeta calibre 12, que tenho guardada em casa para estas situações. O tiro fez um estrago danado no cara! Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV e a turma dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo. Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de assombrado. Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do Comandante da Polícia. No meio do tumulto, um tenente se aproximou de mim e disse: -Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão. Eu respondi: - Pensei que tivesse dito que não havia nenhuma viatura disponível

    ResponderExcluir
  6. Só acho que ele apelou quando acusou alguém sem ter visto quem foi a pessoa que atirou e ainda pediu que seu comparsa mentisse pra polícia dizendo que viu o atirador o advogado do acusado pode entrar com um processo por calúnia difamação e falsidade ideologica contra a.vitima que tem varios desafetos mas não cita em seus depoimentos a começar pela família dele.

    ResponderExcluir
  7. Isso merece ta na cadeia esse Plínio e o pior que ele tem muito inimigo

    ResponderExcluir