Compartilhe essa Notícia:

Polícia prende quadrilha que clonava aplicativo de celular de prefeitos no Maranhão — Foto: Reprodução/TV Mirante

A polícia prendeu na quarta-feira (16), em São Luís, uma quadrilha especializada em clonar aplicativos de mensagens de aparelho celular de prefeitos e empresários no Maranhão e também no Brasil. Pelo menos 20 prefeitos do estado foram vítimas do golpe, segundo a Federação dos Municípios.

Oito pessoas foram presas e entre elas uma jornalista que já assessorou prefeitos e é suspeita de fornecer informações. A polícia inda procura o líder do bando. Os policiais investigam ainda se houve participação de funcionários de operadoras de telefonia.

De acordo com o delegado de Combate ao Crime Organizado, Gil Gonçalves e Silva, os criminosos clonavam o número do aplicativo de mensagens dos prefeitos e pediam dinheiro a amigos e servidores públicos que estavam na lista de contatos.

“Uma vez se passando por prefeitos dos municípios do Maranhão e simulando uma situação pelas quais essas vítimas necessitavam de dinheiro entravam em contato com pessoas que trabalhavam no município como secretários. Pessoas que movimentavam contas públicas e simulavam necessitar do dinheiro se passando pelo prefeito dos municípios e indicavam uma conta de terceiros para que fossem depositados quantias”, explicou o delegado.

Iriane Gonçalo, prefeita de Pastos Bons, a 550 km de São Luís, foi uma das vítimas. Para um dos contatos dela a quadrilha pediu que fosse feito um depósito de R$ 3 mil dizendo que o limite diário da prefeita já havia cedido e parte do depósito foi feito. Um outro contato também foi enganado de depositou R$ 1.300. No total, os contatos da prefeita depositaram R$ 6.000 ao bando.

Ela disse que ficou impressionada com a ousadia dos criminosos. “Não tem como acreditar não acreditar porque eles colocam nossa foto. É muito verídico e impressionante. É uma sensação ruim demais e eu mesma não quero que ninguém passe por isso. A gente se sente totalmente desprotegida”.

Domingos Dutra, prefeito de Paço do Lumiar, na Região Metropolitana da capital, também foi vítima. Ele disse que um servidor depositou R$ 3.000 para a quadrilha. Ele lamenta que o aparelho celular hoje seja usado de maneira criminosa. “O que é mais grave é que o celular que é uma tecnologia que foi criada para bem estar para o cidadão hoje é um instrumento que não tem segurança nenhuma”.

Segundo a polícia, as vítimas não foram apenas prefeitos maranhenses. A quadrilha também clonou aplicativo de mensagens de três prefeitos do estado do Paraná. Eles também tentaram ter acesso as contas de algumas prefeituras.

O superintendente da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), delegado Carlos Alessandro, revela que nas duas últimas semanas a polícia apurou que foram feitos R$ 200 mil em depósitos e acrescenta que nocas vítimas ainda vão surgir. “Certamente outras vítimas irão surgir, especialmente, a partir da divulgação desse trabalho que a equipe acabou de realizar”, finalizou.

Comentários do Blogger

0 Comentários