Compartilhe essa Notícia:

'Mais Médicos' chegaram ao Ceará em 2013 com contrato de trabalho de três anos — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
O governo de Cuba informou nesta quarta-feira (14) que decidiu sair do programa social Mais Médicos. O país enviou profissionais para atuar no Brasil desde 2013, quando o governo da então presidente Dilma Rousseff criou o programa para atender regiões carentes do país sem cobertura médica.

O Ministério da Saúde de Cuba atribui a decisão a "declarações ameaçadoras e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro.

"O Ministério da Saúde Pública de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do Programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana de Saúde e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam a iniciativa", diz a nota do governo.

O comunicado não diz a data em que os médicos cubanos deixarão de trabalhar no programa.

Em agosto, ainda em campanha, Bolsonaro declarou que ele "expulsaria" os médicos cubanos do Brasil com base no exame de revalidação de diploma de médicos formados no exterior, o Revalida. A promessa também estava em seu plano de governo.

Fora do Mais Médicos, os formados no exterior não podem atuar na medicina brasileira sem a aprovação no Revalida. Mas todos os estrangeiros que participam do programa federal têm autorização de atuar no Brasil mesmo sem ter se submetido a esse exame.

"Nós juntos temos como fazer o Brasil melhor para todos e não para grupelhos que se apoderaram do poder e [há] mais de 20 anos nos assaltam e cada vez mais tendo levado para um caminho que nós não queremos. Vamos botar um ponto final do Foro de São Paulo. Vamos expulsar com o Revalida os cubanos do Brasil", declarou Bolsonaro em pronunciamento realizado em Presidente Prudente (SP).

“Qualquer estrangeiro vindo trabalhar aqui na área de medicina tem que aplicar o Revalida. Se você for pra qualquer país do mundo, também. Nós não podemos botar gente de Cuba aqui sem o mínimo de comprovação de que eles realmente saibam o exercício da profissão. Você não pode, só porque o pobre que é atendido por eles, botar pessoas que talvez não tenham qualificação para tal”, justificou.

Comentários do Blogger

4 Comentários

  1. Parabéns ao governo cubano !!!

    Agora, todos aqueles que eram DIRETAMENTE BENEFICIADOS COM O PROGRAMA e que votaram em Bolsonaro terão de escolher: ou pagam plano de saúde, ou terão de galopar a cavalo da zona rural onde moram até à capital para ser atendido pelos ricos e cheirosos médicos brasileiros do SUS, pois dificilmente médicos brasileiros, que tanta oposição fizeram ao programa Mais Médico, irão se deslocar das grandes cidades para ir atender milhares de doentes nas comunidades rurais em regiões afastados dos grandes centros urbanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu é um idiota, Bolsonaro quer ajudar esses médicos que são escravos dessa ditadura apoiada e financiada pelo PT babaca.

      Excluir
  2. Um merda desse não sabe nem o q falar, gosta do governo cubano?
    Vá morar lá p vc ver!

    ResponderExcluir
  3. ja começamos a pagar o preço de ter dado um cheque em branco para um louco.

    ResponderExcluir